sexta-feira, 8 de julho de 2011

Mapa Nacional com o Parque Ambiental Antônio Danúbio

Por: Elton Jean Peixoto

Mais breve que imaginávamos, chegou a recompensa pelo trabalho empreendido no cadastro da Unidade de Conservação Parque Ambiental de Ananindeua Antonio Danúbio, da qual faço parte como Conselheiro; nos foi solicitado que fizéssemos o georreferenciamento da área do Parque, pois somente assim poderia fazer parte de uma publicação nacional.

Agora, com grande prazer, anunciamos que em junho de 2011 foi elaborado um Mapa para divulgar as unidades de conservação brasileiras (federais, estaduais e municipais), no qual, o Parque Ambiental de Ananindeua aparece como a primeira Unidade de Conservação Municipal do Estado do Pará. Este Mapa faz parte da Revista sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, a qual traz diversas informações sobre as unidades de conservação brasileiras e sobre a importância dessas áreas para a sociedade.

Para que o Parque de Ananindeua fosse inserido neste Mapa, foi determinante a celeridade empreendida pela Secretaria Municipal de Agronegócios e Meio Ambiente de Ananindeua, pois no mesmo dia que eu consegui finalizar o georreferenciamento, os dados foram de imediato enviados para o Cadastro Nacional de Unidades de Conservação - CNUC.

Prezado leitores! Para que tenham acesso à publicação e ao mapa favor clicar AQUI ou no link abaixo:

http://www.mma.gov.br/sitio/index.php?ido=conteudo.monta&idEstrutura=240&idConteudo=10796&idMenu=11655

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Lançada a 2ª edição da Revista FOSSGIS Brasil


Após a grande repercussão da primeira edição da revista, iremos tratar nesta edição sobre um assunto muito importante, e que tem tudo a ver com as geotecnologias livres: a Educação.
Nesta edição iremos tratar do uso dos sistemas de informações geográficas (SIG) livres no ensino, mostrando que é possível sim, proporcionar um ensino de qualidade utilizando o software livre, assim como é feito no curso superior de Geoprocessamento do IFPB.

Também tivemos o prazer de nesta edição realizar uma entrevista com Jorge Xavier da Silva, professor emérito da UFRJ e mentor do primeiro SIG nacional, o SAGA-UFRJ.

Ainda nesta edição você poderá conferir os artigos sobre o WKT Raster, uma alternativa do PostGIS para manipulação de informações Raster, Quantum GIS, Kosmo GIS, a continuação da coluna Mobile GIS, entre outros.

Esperamos que gostem desta nova edição da revista, e deixem seus comentários no nosso site. Para fazer o download da segunda edição da revista, basta clicar aqui.


VAGAS EM GEOTECNOLOGIAS NO ESTADO DO PARÁ

Topografia e Georreferenciamento, oportunidades
Processamento e edição, levantamento de campo,
Amazongeo,
Castanhal, Tomé-açú, marabá, marajó.
SERGIO JORGE 0419681177373
(sergiopsjorge@gmail.com)

Processamento e edição, levantamento de campo,
Nortegeo
Castanhal, Baião, Tomé-açú
Cleber de Souza Oliveira 81040108
cleberoliver@hotmail.com
cleber.ufra@gmail.com



Processamento e edição,
tal topografia
Mãe do Rio
Marcelo Caxiado 81232614
marcelocaxiado@hotmail.com

terça-feira, 5 de julho de 2011

ArcGIS Online disponibiliza gratuitamente serviços de mapas do Brasil

A Esri, empresa norte-americana líder no desenvolvimento de softwares para geoprocessamento, acaba de atualizar o conteúdo geográfico brasileiro dos serviços de mapas do ArcGIS Online ( www.arcgis.com). Os serviços de mapas estão disponíveis na web gratuitamente e apresentam o resultado do investimento e geocolaboração de usuários, parceiros e distribuidores da Esri do mundo inteiro. Esses serviços permitem que usuários utilizem conteúdo geográfico brasileiro de ótima qualidade em seus mapas e aplicações através do Sistema ArcGIS.

Deilson Silva, líder de marketing técnico da Imagem, explica que com os serviços do ArcGIS Online é possível: planejar ações a partir da espacialização e localização de ativos de uma empresa, analisar o acréscimo ou decréscimo da vegetação de uma determinada área num período de tempo, disseminar conhecimento e resultados de atividades planejadas, além de entender o comportamento da geografia em áreas urbanas e rurais, além de outros benefícios.

“Os usuários poderão criar seus próprios mapas usando os serviços do ArcGIS Online. E assim, localizar áreas de risco ambiental, criar mapas temáticos a partir de mashups (usar mapas e ferramentas de vários servidores em sua aplicação), geocolaborar permitindo que usuários e cidadãos agreguem valor a suas atividades utilizando Inteligência Geográfica de forma simples, rápida e eficiente”, detalha Silva.

Os serviços de mapa que receberam mais atualizações foram: WorldStreetMap, Global Landsat, World Imagery e TopographicMap. O serviço World Street Map, por exemplo, apresenta dados de estradas, ferrovias, recursos hídricos, limites administrativos, entre outros dados espaciais importantes para a elaboração de mapas. Usuários e empresas podem geocolaborar com conteúdo geográfico através do Programa Community Base Maps da Esri. O acesso a estes serviços pode ser feito a partir de qualquer um dos produtos do Sistema ArcGIS.

No Brasil, a Esri é representada com exclusividade pela Imagem, líder em Sistemas de Informações Geográficas na América Latina, localizada em São José dos Campos, SP.