terça-feira, 29 de setembro de 2009

CONVITE: Lançamento do livro de Aldrin Figueiredo

Convido os leitores do blog para o lançamento do livro do historiador Aldrin Figueiredo: A cidade dos encantados: pajelanças, feitiçarias e religiões afro-brasileiras na Amazônia, 1870-1950. Belém: Edufpa, 2009, 320p. (Prefácio de Serge Gruzinski e apresentação de Vicente Salles). Preço no dia do lançamento: 25 reais. Local: Instituto de Artes do Pará (Praça Justo Chermont, nº 236 - Nazaré - CEP: 66.035-170 - Belém - Pará – Brasil) ao lado da Basílica de Nazaré.

Dia 1 de outubro de 2009, quinta-feira, às 19 horas

O livro reconta a história das religiões amazônicas, especialmente sobre a crença nos encantados, e de como essas manifestações se tornaram o tema predileto de antropólogos e historiadores desde o século XIX até meados do século XX. Traça a história de vida de muitos pajés e pais de santo que ficaram famosos na Belém da belle-époque e no interior do Pará, como eram seus rituais de cura e também como disputaram espaço com a chamada medicina científica no cotidiano das cidades.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Cidades digitais: Fórum promove debate sobre políticas públicas para a implantação

Evento ocorre nos dias 1 e 2 de outubro de 2009, em Brasília
Fontes de financiamento, tecnologias, regulamentação e gestão. A partir destes quatro pilares, a construção de uma cidade digital já pode ser planejada.
Com o objetivo de favorecer um amplo debate sobre políticas públicas relacionadas à implantação e operação de cidades digitais no Brasil, o I Fórum Nacional das Cidades Digitais reunirá, nos dias 1 e 2 de outubro, em Brasília, representantes de órgãos da administração pública federal, estadual e municipal. O evento também será a oportunidade para a apresentação de iniciativas isoladas de municípios, estados e de programas ministeriais que mostram ser possível colocar em prática avanços sólidos rumo à inclusão digital.

Aberto à imprensa, o I Fórum Nacional das Cidades Digitais terá a presença de representantes da Presidência da República, dos Ministérios das Comunicações e do Planejamento, da Anatel e do BNDES. Já confirmaram presença o assessor especial da Casa Civil André Barbosa, o secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis-MCT) Joe Valle, Marcos Mazoni, presidente do SERPRO e Clarice Coppetti, vice-presidente de Tecnologia da Caixa Econômica Federal e Jorge Henrique de Araujo Souza, gerente de Gestão Pública e Avaliação de Impactos Sociais BNDES.
A programação do evento tem os seguintes temas em pauta:
- O papel dos governos como formuladores de políticas públicas para a implantação de cidades digitais.
- Tecnologia da informação nos municípios brasileiros: realidade atual e como desenvolver.
- A tecnologia e o desenvolvimento econômico e social dos municípios: a visão do gestor público.
- Como operar uma cidade digital: o papel do município e da iniciativa privada.
- Como implantar uma cidade digital.
- Modelo de negócios e sustentabilidade.
- Recursos disponíveis para financiamento de cidades digitais.
- Ferramentas e aplicações de softwares para municípios visando a melhoria da gestão pública.
- Programa de inclusão digital para cidades digitais.
- Caso de sucesso de aplicação na área da educação.
- Casos de sucesso de aplicações na área da saúde pública.
- Casos de sucesso de aplicações de segurança pública.
+Informações
www.guiadascidadesdigitais.com.br

Fonte: MundoGeo

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Google Earth Foto ou Imagem de Satélite?

Outro dia, falando a respeito de imagens de satélite com um amigo, ele me fez uma pergunta, que creio eu, várias pessoas tendem a se enganar a respeito, ele me indagou o porquê de as fotos de Belém no GE (Google Earth) serem desatualizadas. Diferente do que os desavisados podem pensar, o que mais me chamou atenção na pergunta não foi a temática principal, mas sim, e principalmente, o fato de ele tem se referido à imagens de satélite como fotos.

Esta confusão surgiu principalmente depois que o GE popularizou as imagens de satélite, desde então muitas pessoas confundem imagens de satélite com fotografias, visto que, parecem mesmo. Agora a diferença fundamental é que “a imagem na verdade é uma matriz de números (histograma) obtido pelos raios eletromagnéticos do sol refletidos na terra e que estes números formam a imagem, já a foto absorve luz e não gera números na maquina fotográfica” (M. J. Cavalcanti, Blog Energia).

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

IBGE utilizará GPS no Censo Demográfico 2010

Os GPS’s que serão utilizados pelo IBGE, servirão para dar apoio à localização dos recenseadores, pois o IBGE está migrando a Base Territorial e o Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos – CNEFE, para um ambiente gráfico estruturado em bancos de dados geoespaciais, que serão inseridos nos aparelhos.

De posse destes GPS’s devidamente atualizados, o trabalho dos recenseadores para localização de endereços, será muito facilitado. Agora o que precisamos saber é o se a base cartográfica está realmente atualizada, pois caso a mesma não esteja, isso poderá tem um efeito contrário.

Como nestes casos o trabalho é feito por setores censitários, seria muito interessante utilizar alem desta base cartográfica e do Cadastro de Endereços, uma imagem de satélite de alta resolução, com uma opção para habilitar e desabilitar e mesma.

Imagens novas no Google Earth para Belém

Em um de meus acessos ao GE percebi que houve uma atualização nas imagens que cobrem Belém (PA). Dá pra ver, por exemplo, o Portal da Amazônia (-1.469631°, -48.503333°), as obras do Elevado da Júlio Cesar (-1.408522°, -48.464429°), o entroncamento (-1.406266°, -48.435352°), entre outros equipamentos urbanos que não apareciam nas imagens anteriores.

É válido ressaltar que as imagens são de uma qualidade muito boa, o que é de grande importância para os trabalhos realizados nos cursos de Geografia, Arquitetura, Engenharia Civil, entre outros que utilizam imagens de satélite para realizar seus levantamentos de campo ou para espacializar suas pesquisas e TCC’s.

Bom trabalho e boa viajem a todos.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

UNIVERSIDADES DO PARÁ AVALIADAS PELO MEC

Apenas 21 entre as 2.000 instituições de ensino superior avaliadas em 2008 pelo MEC (Ministério da Educação) obtiveram nota máxima no IGC (Índice Geral de Cursos da Instituição). O indicador, que foi divulgado pela primeira vez no ano passado, atribui notas às faculdades e universidades levando em consideração a qualidade dos cursos de graduação e pós-graduação. De acordo com a pontuação, as instituições são classificadas em faixas que vão de 1 a 5.

No Brasil, do total das instituições avaliadas, 884 (44%) obtiveram IGC 3, considerado razoável. Dezoito instituição ficaram com IGC 1 e 570 com IGC 2, considerados ruins, o que representa quase 30% do universo de entidades avaliadas.

No Estado do Pará foram avaliadas quatro universidades sendo uma privada (UNAMA), uma estadual (UEPA) e duas federais (UFPA e UFRA). Destas, a privada ficou com IGC 2, e as outras três com IGC 3.

Veja no link a lista com todas as universidades avaliadas pelo MEC, e um quadro com as universidades no Estado do Pará:

http://media.folha.uol.com.br/educacao/2009/08/31/mec_igc_1.pdf



Clique na imagem para ampliar

Fonte: Folha On Line